Auto-retrato

Ao acordar a primeira coisa e correr e não enfrentar o espelho e consequentemente ver aquela imagem bagunçada e desfigurada. Então corre para o banheiro lava o rosto, toma um bom banho e se arruma para enfrentar mais uma dia cheio de grandes ou pequenos acontecimentos. Mas mesmo assim ao ver sua imagem refletida, observa e não gosta muito do que vê, Começa a notar o passar dos anos com mais severidade, as rugas, as machinhas de sol, o cabelo ressecado, um rosto triste, cheio de sentimentos confusos e sem expressão. Pois é assim que muitas  pessoas sentem-se, confundindo o que realmente é, para o que se pensa que realmente são. Como o outro vê a cada um? Qual a imagem que cada um passa? Muitas vezes ao deixar-se guiar por essas visões equivocadas, leva-se a nos auto-depreciar, entristecer -se e fechar-se num mundinho só.
Na verdade, o outro que tem bons sentimentos para com a pessoa, muitas vezes os vê , verdadeiramente, não os depreciando, pelo contrário, procura e a encontra sem muito esforço suas curvas sinuosas, sua expressão de alegria, resplandecente viva e irresistivelmente linda, por vezes misteriosa, mas todas com toda sua intenção em particular.
O importante vem da lição de na verdade parar de se ver como vitima e começar a se moldar com os traços que fazem cada um único,  perfeito e belo aos seus olhos e de uma vez por todas entender que sempre vão existir aqueles que vão depreciar e insultar tais atos, mas essa são pessoas ressentidas e amarguradas que não vale a pena dar ouvidos a tais comentários. Deixe a luz resplandecer e ative-a com um belo sorriso emoldurando a nova criatura que renasce.

Sinta-se, ame-se, cuide-se, deseje-se, arrisque-se...Ouse.

< Jacqueline Marinho >


Topo