Arrumando as gavetas...

 Tirando a poeria
limpando com pano úmido as manchas deixadas com o tempo
dardo brilho com um produto cheiroso
escolhendo e categorizando o que colocar em cada gaveta
selecionando o que á não serve
revendo recordações,
saudades ou até aprendizados que ficaram marcados
tudo muda de lugar, ou até permanece mais arrumado naquele canto nem tão novo
Então depois de tudo devidamente alinhado, limpo e organizado
é hora de aproveitar o novo cheirinho e a beleza produzida naquele lugar.
Certamente a limpeza logo será feita com  um novo realinhamento,
mas nesse momento o importante e aproveitar, cuidar e manter tudo
usufruindo do que ali guardado nas gavetas   

Jacqueline Marinho 

Jardim de amor...


Pessoas são como as flores
Você pode cuidar de todas as tuas flores
Oferecendo sempre a mesma água todos os dias
Por que não é exatamente o que você faz
Que às deixará felizes
Mas o tempo que você se dedica a elas...


Augusto Branco

Sutilezas....


Sinceridade ao falar
Ação no olhar
Luz ao abraçar
Calma ao sorrir...
Agir em sutilezas
viver com delicadezas
amar verdadeiramente
sendo assim
uma semente em meio ao terreno fértil
regando..
crescendo....
Sendo também semente!
< Jacqueline Marinho >
Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir
Pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar


Nada do que foi será
De novo do jeito
Que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre

Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
(Como uma onda mar- Lulu Santos)

PRIMAVERA


Ela chega discreta
na metamorfose divina
com seus encantos, sua beleza
Seus varios perfumes,
com seu jeito peculiar.
Da vida ao seco
trazendo vigor da florada
uma eclosão de cores
num calor de amores
em uma brisa que enternece.
Crianças brincando na chuva
sobre um céu colorido
olhares sorridentes
pulsando nos movimentos
Ah, doce e bela primavera!


Patricia Tieko
Esse caminho não há outro
Que por você faça

Eu queria insistir
Mas o caminho só existe
Quando você passa

Quando muito ainda é pouco
Você quer infantil e louco
Um sol acima do sol

Mas quando sempre é sempre nunca
Quando ao lado ainda é muito mais longe
Que qualquer lugar

Ôo, um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer

Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Se a sorte lhe sorriu
Por que não sorrir de volta?
Você nunca olha a sua volta

Não quero estar sendo mau
Moralista ou banal
Aqui está o que me afligia

Ôo, um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer

Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Skank- Acima do Sol

Metade



Não bastante,
inquietante e fascinante.
Plena, mas em um turbilhão
vem leve como o vento
mas forte e intensa como a luz do Sol
São as metades de uma metade que ainda se desconhece.
Traz um querer ainda mais por querer
Meios que a razão desconhece
Que expressões revelam
Onde o tempo vem acalentar em cada letra pronunciada 
A verdade revelada em gestos incertos
O que anda pelo amor em meias metades.
< Jacqueline Marinho >


Reflorecendo....



Porque foges do que e tão singelo?
escondes o que os olhos brilham?
O cheiro que que num toque exalas?
Mas porque não enfrentas esses amor singelo e verdadeiro?
Sofres em silêncio e não vedes a felicidade brotar...
Deixe esse semente brotar, crescer e frutificar
E aproveitares as maravilhas reservadas e que aguardam apenas num SIM
Sim...Sim...Sim
Aceitares e verás um lindo arvorecer renascer...

< Jacqueline Marinho >

Interioridade...


Aventurar-se em voos rasos,
mergulhar intensamente
sentir o vento
perceber o cair da chuva
sentir o amor pulsar
e sem ao menos entender
encontrá-lo num cantinho,
ele desabrochar e crescer de forma tão intensa
e ao mesmo tempo tão suave
pelo tempo
por todo  o tempo
por uma aventura inteira.


<Jacqueline Marinho>

Um pouco mais...


Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida é tão rara

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência
E o mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (Tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para (a vida não para não)

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para (a vida não para não... a vida não para)

Lenine

Ser é ser...



Dentre o que há de mais novo e mais velho...
Do que se tem certeza e do que não se sabe...
Do que se sente e que perde o sentido...
Do que é sentimento e o que provoca o sentir...
Destas certezas, só resta apenas a plena veracidade:
Ser e umas das tarefas mais improveitáveis
É ser sendo
Que vai vivendo
Tomando cor e sentido dos caminhos, dos sonhos e do coração!

< Jacqueline Marinho>

Brisa de uma tarde de verão...

Sentir a brisa do olhar
O calor do abraço
Um instante fora do chão
Em um tempo eterno e indescritível
Repetidas vezes como um flash back ao fechar os olhos
Sonhos de uma vida que virá
Antes mesmo de ter sabre que já está encaminhando
A hora chegando, chegando
Certeza de uma felicidade anunciada
Admissão se sentimentos
Que vem numa brisa de tarde iluminada
Trazendo todo amor do mundo...



< Jacqueline Marinho >




Voos de uma vida...



Voando livre ao vento,
 relento de brisa suave,
luz avermelhada de um pôr do sol deslumbrante
encerrando mais um ciclo de um dia inteiro
anunciando o anoitecer.
E logo ao se esvair o luar,
então vem chegando de mansinho
o brilho do amanhecer,
 acompanhado do orvalho
cintilante nas flores,
dos cantos divinos dos pássaros
que gorjeiam alegremente
buscando companhia e acalento,
tudo que sonha possa ser compartilhado,
em todos os breves momentos de sua existência
sentir essa presença na certeza de que será para toda vida...

< Jacqueline Marinho >


Topo