Metade



Não bastante,
inquietante e fascinante.
Plena, mas em um turbilhão
vem leve como o vento
mas forte e intensa como a luz do Sol
São as metades de uma metade que ainda se desconhece.
Traz um querer ainda mais por querer
Meios que a razão desconhece
Que expressões revelam
Onde o tempo vem acalentar em cada letra pronunciada 
A verdade revelada em gestos incertos
O que anda pelo amor em meias metades.
< Jacqueline Marinho >


Reflorecendo....



Porque foges do que e tão singelo?
escondes o que os olhos brilham?
O cheiro que que num toque exalas?
Mas porque não enfrentas esses amor singelo e verdadeiro?
Sofres em silêncio e não vedes a felicidade brotar...
Deixe esse semente brotar, crescer e frutificar
E aproveitares as maravilhas reservadas e que aguardam apenas num SIM
Sim...Sim...Sim
Aceitares e verás um lindo arvorecer renascer...

< Jacqueline Marinho >



Topo